Saiba Mais

Guarda Compartilhada / Alienação Parental: quando a conjugalidade termina e a parentalidade precisa


29/06 a 01/07


Inscrições na sede da SBPRJ. R. David Campista, 80, Humaitá, Rio de Janeiro-RJ

ou

depósito no banco Itaú, agência 0311, conta 38725-2, CNPJ 33.599.390/0001-17.

Após depósito efetuado enviar comprovante para tesourariasbprj@sbprj.org.br (A/C Vina)

com assunto INSCRIÇÃO JORNADA, nome completo e tel. para contato.

A Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro realizará nos dias dias 29 , 30 de junho e 1 de julho, a Jornada: Guarda Compartilhada/ Alienação Parental: quando a conjugalidade termina e a parentalidade precisa seguir.


O objetivo de organizarmos esta Jornada surgiu da necessidade de conhecermos e aprofundarmos uma visão interdisciplinar de profissionais sobre esta temática.


A ideia de que a parentalidade precisa seguir, quando a conjugalidade chega ao fim, é o ponto central e o maior desafio principalmente quando um dos cônjuges não aceita a separação, quando ambos possuem uma certeza tácita em suas convicções antagônicas, e a hostilidade e a agressividade entre eles inundam o mundo da criança.


Os filhos, não raras vezes, encontram- se diante de impasses familiares e sem compreender o que se passa entre os pais ficam muito angustiados, confusos, inseguros e muitas vezes adoecem. Estas crianças ao mesmo tempo são desejosas da continuidade da convivência com ambos os genitores e são também espectadoras da decisão alheia à sua vontade. Somado a isto tudo a ambivalência natural que a criança vivencia em relação às figuras parentais pode encontrar num ou no outro genitor uma aliança que fomenta a retaliação, a culpa e uma possível consequente apresentação de sintomas. Neste sentido, gostaria de ressaltar a importância de um espaço psicanalítico para a "escuta da criança". E, a discussão a partir deste viés também será contemplada na Jornada.


A possibilidade de se pactuar entre os genitores a Guarda Compartilhada, com as responsabilidades materna e paterna sendo exercidas, sem um tentar alienar o outro do convívio com o filho, parece uma solução satisfatória. Há muitas controvérsias neste delicado processo de construção de um novo modus operandi de convivência entre os membros familiares envolvidos.


Esta complexa teia de relações, que se dá no rompimento da conjugalidade, nos levou a elaborar o programa que segue abaixo, buscando abranger uma visão multidisciplinar através de nossos convidados: magistrados, advogados, psicanalistas da área de família, psicanalistas de crianças e adolescentes, psicanalistas/psicólogos peritos em vara de família. Além das palestras destes profissionais, contaremos com a exibição de um filme que aborda o tema da Jornada, seguido de comentários e debate.


As inscrições já encontram-se abertas e sua presença será muito bem-vinda! Até lá!

Ana Sabrosa

Diretora do Conselho Científico

> DIA 29 DE JUNHO | QUINTA-FEIRA 20:00 Entrega de credenciais 20:45 Abertura: Wania Maria Coelho Ferreira Cidade, Presidente SBPRJ. 21:00 A importância da Psicanálise no Direito de Família . Ivone Ferreira Caetano, Desembargadora - TJ/RJ, Corregedora - Corregedoria Geral Unificada/SESEG e Maria Aglaé Tedesco Vilardo, Juíza de Direito da 15ª Vara de Família, Doutora em Bioética, Coordenadora do Mestrado da EMERJ/FIOCRUZ em Justiça e Saúde. Psicanálise de vínculos. Julio Moreno, Psicanalista - Associação Psicanalítica de Buenos Aires, Codiretor da área de casal e família do Instituto de Saúde Mental (USAM). Coordenação: Ana Sabrosa, Diretora do Conselho Científico SBPRJ.

> DIA 30 DE JUNHO | SEXTA-FEIRA 9:00 A escuta de crianças e famílias em litígio - o laudo e o tratamento, para que servem? Uma visão interdisciplinar. Renata Bento, SBPRJ e Alexandra Ullmann, Advogada e psicóloga - PUC-Rio, especializada em direito de família. Coordenação: Lucia Moret, SBPRJ 10:30 Intervalo para café 11:00 Repercussões do divórcio conjugal na parentalidade. Michele Gorin, SBPRJ . Amor e ódio nas Varas de Família. Lidia Levy de Alvarenga, Doutora em Psicologia Clínica pela PUC-Rio. Coordenação: Geny Talberg, Diretora do Departamento de Crianças e Adolescentes SBPRJ. 12:30 - 14:15 Intervalo para almoço 14:15 Há lugar para o indeterminado na Psicanálise clássica? Julio Moreno, APdeBA. Auto-alienação parental: efeito colateral da lei da Alienação Parental. Sergio Nick, SBPRJ / Vice-presidente da IPA. Coordenação: Celmy Quilelli Correa, SBPRJ. 16:00 A luta e o luto na guarda compartilhada. Maria Aglaé Tedesco Vilardo e Ivone Ferreira Caetano. Multiparentalidade e as famílias atuais. Plinio Montagna, SBPSP / Coordenador do Comitê de Psicanálise e Lei da IPA. Coordenação: Miriam Fainguelernt, SBPRJ 18:00 - 18:30 Intervalo para café 18:30 Filme seguido de debate: A lula e a baleia, direção e roteiro de Noah Baumbach. Debatedoras: Mônica Aguiar, Secretária do Conselho Científico SBPRJ e Olivia Fürst, Advogada colaborativa e mediadora de conflitos. Coordenação: Luiz Fernando Gallego, SBPRJ e membro da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro.

> DIA 1º DE JULHO | SÁBADO 9:00 Abuso sexual intrafamiliar: “Mãe, eu ainda posso amar meu pai?” Ana Lúcia M. P. Antunes, Mestre em Psicologia Clínica - família e casal PUC-Rio. Separando e compartilhando - desafios na família. Eliane Cotrim Levcovitz, SBPRJ. Coordenação: Regina Murat, SBPRJ. 10:30 Intervalo para café 11:00 Encontro clínico. Ana Sabrosa, SBPRJ. Comentadores: Julio Moreno, Plinio Montagna e Sergio Nick. Coordenação: Viviane Frankenthal, Vice-Presidente SBPRJ.


Informações e inscrições: tesourariasbprj@sbprj.org.br / tel.: 2537-1115 / www.sbprj.org.br > Membros FEBRAPSI R$ 250,00

> Candidatos FEBRAPSI R$ 220,00 > Profissionais / Público Externo R$ 280,00


> Estudantes universitários R$ 220,00


Local: Av. Ataulfo de Paiva, 135 / 18º andar - Leblon


Realização: Conselho Científico da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro


CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O CARTAZ DO EVENTO COM A PROGRAMAÇÃO COMPLETA